Adequação ao eSocial A vez das Micro e Pequenas empresas

Adequação ao eSocial – A vez das micro e pequenas empresas

A obrigatoriedade do eSocial já é realidade para companhias com faturamento anual maior que R$ 78 milhões, desde o dia 8 de janeiro. E a partir de 16 de julho, o eSocial para micro e pequenas empresas também será obrigatório, inclusive para o Microempreendedor Individual (MEI) com funcionários.

O que é o eSocial?

O eSocial reúne em um só sistema, de forma padronizada e simplificada, informações sobre os trabalhadores da empresa. A ferramenta deve ser alimentada pelo departamento de Recursos Humanos ou, no caso de pequenas e microempresas que não tenham RH, pelo responsável por estas demandas.

Os principais objetivos do eSocial são diminuir processos burocráticos, otimizar as demandas fiscais, previdenciárias e trabalhistas da empresa com o Governo Federal, e gerar impactos significativos para os negócios.

Quer saber mais detalhes sobre as mudanças? Veja também “O que o eSocial vai mudar na minha empresa”.

Por que sua empresa precisa se adequar ao eSocial?

Estima-se que em julho, com a implementação do eSocial para micro e pequenas empresas, serão atingidos cerca de quatro milhões de médios e pequenos estabelecimentos, um total de 23 milhões de trabalhadores.

Como o sistema é novo, é possível que muitas empresas tenham problemas para se adequar ao eSocial. Perder o prazo da implementação pode ter consequências negativas, como multas que geram déficits para o caixa e para a imagem da organização. As penalidades podem abarcar uma parcela representativa do faturamento anual.

O eSocial para micro e pequenas empresas entrará em vigor e a elaboração da Folha de Pagamento sofrerá mudanças. As empresas precisam compilar os dados e enviá-los ao governo quase que em tempo real. Caso contrário, serão multadas.

Entre estes dados, estão novas admissões, férias, alterações dos contratos de trabalho e dos dados cadastrais, acidentes de trabalho, afastamento temporário do colaborador, deixar claro na rede os riscos de trabalho dos profissionais, ter em dia Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) – exames médicos admissionais, demissionais e periódicos.

O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) será substituído pelo eSocial. As organizações que não realizarem o depósito, não computarem a parcela de remuneração ou efetuarem depois de serem notificados em caso de perda do prazo, podem receber multas.

Quer se informar mais sobre estas multas? Leia “Saiba quais são as consequências da perda do prazo do eSocial e como se adequar ao sistema”.

Mas com certeza a sua empresa não quer ser multada, certo? Para ficar de fora das cobranças inusitadas e suas consequências ao caixa, é bom já ir se adaptando ao sistema do Governo Federal.

Ao implementar o eSocial para micro e pequenas empresas, tem vantagem a organização que aposta em boas soluções tecnológicas e treinamento. Uma das soluções é buscar empresas especializadas no assunto, que podem ajudar e dar todo o suporte técnico necessário.

A BuildUP, por exemplo, conta com profissionais preparados e uma série de soluções para ajudar uma na implementação do eSocial sem prejuízos.

Caso tenha dúvidas sobre o tema e precisa se adequar ao eSocial para micro e pequenas empresas, inclusive para MEI com funcionários, não espere até julho: entre já em contato com a BuildUP. Siga dentro da lei e poupe gastos desnecessários e tempo que a perda do prazo da implementação do sistema podem consumir.

Leave a Comment